quinta-feira, 1 de julho de 2010

FUTEBOL

Tá ligado nessa época de Copa do Mundo? Pois é, um dos pontos curiosos que eu gosto de observar é o comportamento do brasileiro que não saca porra nenhuma de futebol (e o menospreza em 90% da sua vida) e, mesmo assim, malgrado, se acha o torcedor mais experto no assunto. Tudo são mil maravilhas para ele que não entende nada; se ganhar é festa, se perder tem de novo daqui a quatro anos.

Esses pseudo-torcedores, no entanto, não entendem que uma atuação, que um estilo de jogo ou que uma tática errada pode mudar completamente uma arte chamada futebol. Prova disso é a merda de seleção que vemos hoje em campo, graças a quê? À maldita ajeitada no meião de Roberto Carlos contra a França na Copa de 2006 (não concordo que a culpa do lance seja dele, mas isso já é outro assunto).

O maldito lance fez com que o Brasil fosse eliminado e, conseqüentemente, muitos culpados foram apontados. Quem foi o alvo? A festa e a arte. No lugar, colocaram o resultado e o símbolo da destruição do jogo, que costuma atender pelo nome de Dunga. O que o torcedor ganha com isso? Nada, ou melhor, ele só perde. Afinal, quem pode chamar de sua uma equipe em que os jogadores e técnicos não dão entrevistas espontaneamente?

O que era uma equipe do Brasil em 2006 se transformou numa equipe do Dunga. Ou vai me dizer que esse time vestido de amarelo e azul é a sua seleção? Não mesmo! Se fosse o Brasil mesmo, convocado pelo clamor popular, teria uma série de animais em campo (Ronaldinho, Ganso, Alex, Pato, por exemplo) e não um no banco.

Eu não torço para esse time do Dunga, como muito bem disse há um mês. E tenho meu direito de não torcer. Sou crítico acima de tudo. Se você acha que ser nacionalista é torcer pela seleção, você está fazendo isso errado. Hipocrisia é torcer pela seleção só porque é do Brasil, reclamar de quem não torce e não ajuda a mudar o país enquanto também não se luta para mudar a nação em que vive.

Enfim, se temos material humano, eu quero show, eu quero arte, eu quero futebol! Título? Vai me dizer que você ouve falar com mais saudosismo de 94 que de 82? Pois bem, não vou dizer muito. Tema provável para a próxima postagem. Só desejo que os jogadores garantam a minha folga na terça-feira. Aí sim, caminho e torcida livres para a eliminação.

Lembrando aos desatentos, o podcast esportivo do faesadigital continua a rolar. Gravação aconteceu hoje (1º de julho) e comentamos a expectativa para os jogos das quartas-de-final da Copa do Mundo. Para ouvir, clique AQUI

1 comentários:

Matheus Brasil disse...

Sem mais.

Belo texto. Uma antevisão de Brasil x Holanda.

Que, agora, enterrem o Dunguismo e voltemos ao Brilhantismo.

Paz.